Wednesday, 1 January 2014

My visit to my family


Podia ter corrido pior, mas o melhor é que estávamos todos juntos, e isso para mim? É fundamental.

26 de Dezembro - o dia da viagem de partida. Não foi dos melhores dias para fazer uma viagem confesso. Estava triste, tinha recentemente descoberto uma verdade que me magoou imenso, ainda hoje me marca, mas quero "crescer" em relação ao assunto e ignorar, pois é passado e não faz bem nenhum à relação. Despedi-me do menino com lágrimas nos olhos embora estivesse bem ansiosa por voltar aos braços da minha família. Apanhei o meu avião às 13h45 para chegar lá às 16h15 mais ou menos, o fuso horário diferencia numa hora pelo que a viagem foi rápida e amena, tal como gosto. Chegada ao aeroporto de Paris tive de fazer um trajecto até à estação de comboios. Lá esperei 2 horas e meia pelo meu TGV para Nantes. Já no comboio a viagem levou 3 horas e meia, com chegada ao destino pelas dez horas da noite. Foi agradável ver ainda do lado de dentro do comboio a carinha maluca da minha mana e esta a correr feita tonta atrás do comboio. Os abraços surgiram bem como as lágrimas mais uma vez. Foi um alivio chegar lá. Odeio tantas horas de viagem sozinha. Chegada a casa, vi também a minha "família" francesa e começaram a troca de prendas. Muita conversa, muitas novidades, muitos risos e muitos desabafos. Foi uma noite longa.

27 de Dezembro - o dia onde tudo começou. Levantei-me por volta do meio-dia preparada para comer a francesinha que tanto pedi e que tanto me foi prometida. Oh bem, se estava deliciosa... mas deve ter sido uma das mais brutas mudanças alimentares. Durante a tarde fomos ao Shopping já aí comecei a sentir dor no estômago mas ignorei. Visitamos outra família portuguesa/ francesa/ italiana relacionada com os nossos e passamos lá horas a falar. Chegada a casa comemos o jantar, uma refeição bem normal mas do qual já tinha uma certa saudade feita pela minha mãe - massa com carne. Durante a noite é o caos. Ocorrem vómitos e diarreia entre as 4h da manhã e as 6h da manhã. Não foi bonito. Embora a minha mana tenha tido tanta paciência comigo. Por volta das 8h o episódio continua e aí a minha mãe substitui a minha mana. Fica comigo até ao meio-dia. Aí tento beber, tento comer e nada entro... tudo volta cá para fora. Até que a meio da tarde é-me dado medicação e um chá. Coisa que odeio, odeio chás. Mas por incrível que pareça fez algum efeito pois já me sentia ligeiramente melhor, embora muito fraca. Fomos ao Hospital, onde o médico descreveu todo um processo de passos para que ficasse boa em 48h. Antes do meu voo portanto.

28 de Dezembro - dormi bem. Dormi cerca de 9 horas sem me levantar, sem acordar, sem sentir nada... a coisa estava a funcionar. A medicação e a receita. Só me era permitido comer comida fria, puré de cenoura e/ ou arroz. Geleia com pão. E mais nada. Nessa noite tivemos uma noite de meninas. Vimos filmes e trocamos informações entre outras. Foi agradável. Mas eu estava mais para lá do que para cá. Bem cansada, pelo que já estava a dormir a meio do filme. 

29 de Dezembro - o dia mais excitante que tive! Já me sentia bem melhor, embora fosse o dia em que toda a gente tenha ido embora... foi onde falei sobre tudo o que há muito desejava. A minha vida cá, a minha mota, os meus objectivos. O filho da outra família tem uma mota (Yamaha 600) ao qual estive a trocar ideias como guiá-la e controlá-la. Os testes de condução lá são mais exigentes, tomara eu ter tido esses testes... talvez assim tivesse menos medo de algo maior. Assim não, assim limito-me ao pequenino. Mas sentei-me nela, agarrei nela e foi permitido andar nela. Claro atrás! E bem... soube-me pela vida, apesar do frio. Adorei. Quero voltar a repetir a experiência numa próxima, mas desta vez, à frente! Fomos também dar uma volta a pé, conversamos todos muito, inclusive com os meus pais. Foi bom para matar os últimos cartuchos de saudade.

30 de Dezembro - viagem de regresso. Às 6h da manhã já estávamos todos acordados. Para apanhar o comboio das 7h35. Quando não se conhece é muito simples, seguimos aqueles que têm interesses comuns! É óbvio, fácil e raramente estou enganada. Ora as despedidas começam, desta vez foi a vez da mana ficar doente pelo que esperou no carro (felizmente está melhor). Na partida sinto umas lágrimazitas a virem ao de cima, mas pouca coisa. Já começamos a estar habituados. 4h de viagem que passaram rápido visto que passei a maioria a dormir. O primeiro TGV foi em primeira classe visto que não havia mais bilhetes para segunda classe. Foi de sonho. Chegada à estação de comboios, fui directamente para o aeroporto. O caminho de regresso já sabia, e lá... lá esperei mais de 3 horas com mais uma hora de atraso do avião. BAH. A viagem de regresso foi mais agressiva. Muita turbulência e muito muito vento. A aterragem então, foi uma das mais assustadoras que alguma vez tive. O avião a poucos metros do chão continuava a balançar. Com o vento que se fazia cá fora, também não é de admirar. Mas foi assustador. Chegada ao aeroporto eis que apanho um taxi de regresso a casa. E nada como a "nossa" casinha para nos sentirmos bem. Ahh... lar doce lar.

Desculpem o testamento, mas nada como reviver um dia de cada vez para contar melhor o que se passou. Foram umas férias digamos fora do normal, mas valeu a pena rever a minha família.

8 comments:

  1. Também estou de regresso, mas aqui, a este mundo.

    Renovo desde já os votos de fantástico ano para ti e os teus. E o lar, doce lar, não tem mesmo comparação...

    Beijinho

    ReplyDelete
    Replies
    1. De todo :) a família valeu qualquer doença, horas de espera, viagens longas... Sabe bem estar em redor de braços acolhedores. Obrigada JP.
      Um Bom Ano para ti também :) Beijinho xx

      Delete
  2. Se correram bem esses dias, foi o mais importante :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sem dúvida minha querida :) Beijinho x

      Delete

  3. As férias foram tão boas, mas tão boas que te levaram a datas anteriores? :))) O pior foi a gastroentrite que
    apanhaste. Ainda não percebi o porquê destas doenças em alturas destas! :)

    Beijinho e tudo a correr bem com o teu menino!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ai rapariga ! Perdoa-me eheheh Já está corrigido ;) Obrigada pela chamada de atenção eheh.
      É realmente chato, mas não passou disso. Já é normal comigo... mas bolas, passo bem sem elas!!
      Beijinho e obrigada minha querida ;) xxx

      Delete
  4. OOOHHHH meu doce.... quero lágrimas de alegria na tua vida... PLEASEEEEE
    Um ano feliz para ti e... FALA COMIGO OK?

    quando quiseres falar novamente no skype avisa I'M HERE FOR YOU!!!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Falo sempre meu bem ! :) Obrigada meu doce. Assim farei :D Muito obrigada. Beijinho enorme no coração xx

      Delete

✿ Comentários ✿

Powered by Blogger.

Contact us

anna.21.marian@gmail.com